Loading...

Um elemento que faz toda a diferença nos ambientes e ganha destaque crescente nos projetos arquitetônicos é a iluminação. Tão importante quanto a escolha do revestimento e dos móveis é o jogo de luzes naturais e artificiais na composição de um ambiente residencial ou corporativo.  Além de ser uma aliada quando o assunto é embelezar o local, a iluminação deve ser apropriada para a função planejada, que pode variar entre a leitura de um livro, a execução de uma tarefa em cima da mesa, aumentar um ambiente, dar a sensação de aconchego, entre outros usos. A economia de energia e a saúde da pele e dos olhos também são pontos a ser trabalhados quando o assunto é iluminação.

Layer 1
Sala de estar com sistema de iluminação de destaque; lâmpadas com foco em objetos cria jogo de luz e sombra.

Um sistema de iluminação necessita de recursos como luminárias, lâmpadas e muitos outros. Para implantar este sistema de forma que gaste menos energia existem algumas formas. A arquiteta Lara Ferro, sócia do também arquiteto Renato Teixeira na RL Arquitetura e Interiores, cita como exemplo os possíveis sistemas de iluminação para uma sala de estar, na qual pode ser utilizada a iluminação indireta com “rasgos” no forro de gesso com lâmpadas fluorescentes tubulares. Outra opção seria a iluminação de destaque, com lâmpadas de foco concentrado sobre os objetos, criando um jogo de luz e sombra. “Ter dois tipos de sistema faz com que tenhamos cenários diferentes para momentos diferentes. É como se você tivesse duas salas de estar”, afirma Lara Ferro.

A escolha da lâmpada e das características desta são importantes para o resultado do projeto. Os principais tipos de lâmpada são as fluorescentes (mais duráveis e econômicas), incandescentes, halógenas (ótimas para destacar objetos, mas com alto consumo energético), descarga (cuja luz é produzida à base de descarga elétrica) ou lâmpadas Led (são mais caras, mas possuem alta durabilidade e geram luz com baixo consumo de energia). Outro conceito simples que deve ser levado em consideração é o de temperatura de cor, medida em Kelvin (K). Um mesmo tipo de lâmpada pode ter a cor da luz “amarela”, “neutra”, “branca” ou “branca azulada” – 3000K, 4000K, 5000K, 6000K, respectivamente.  Renato Teixeira explica alguns usos.  “A escolha de uma lâmpada ‘branca azulada’ para um quarto, por exemplo, pode trazer a sensação de agitação, já a ‘amarelada’ tende a proporcionar aconchego”, diz o arquiteto. Embora emitam efeitos diversos, o tipo de lâmpada pode ser o mesmo – fluorescente compacta, com diferentes temperaturas de cor.

O cuidado com a iluminação também é uma questão de saúde. É o uso que deve definir a lâmpada e luminária adequada. Em um ambiente de escritório, o recomendável é usar lâmpadas com temperaturas de cor que estimulem o desenvolvimento da atividade. É necessário também controlar a iluminação solar em excesso ou deficiente por meio de persianas e cortinas.  “O sistema de iluminação não é formado apenas por lâmpadas e luminárias, mas sim todo o contexto do ambiente, que pode favorecer ou desfavorecer a saúde dos nossos olhos”, completa Renato Teixeira.

Layer 2
Iluminação indireta confere charme e personalidade à sala de estar. 

Iluminação para:
Quartos: iluminação indireta e aconchegante é o ideal. Para este resultado, pode-se fazer uso de sancas (moldura em gesso que é colocada no encontro da parede com o teto e que apresenta um vão, de onde parte a iluminação indireta) com lâmpadas em tubo fluorescentes “amareladas” (aproximadamente 3000 K).

Sala de Estar: a dica é usar um mix de iluminação geral com destaques. Para iluminação geral podemos usar plafons (luminárias instaladas sobrepostas no teto), luminárias embutidas com lâmpadas fluorescentes compactas, ou sancas (moldura em gesso que é colocada no encontro da parede com o teto e que apresenta um vão, de onde parte a iluminação indireta) com lâmpadas tubulares fluorescentes ou led e para os destaques, pontos de luz com lâmpadas halogenas ou powerled.
Cozinha: O ideal é fazer o uso de iluminação geral direta com plafons ou rasgos comno gesso com lâmpadas fluorescentes em tubo “neutras” (4000 K). Uma dica interessante é usar iluminação abaixo de armários que ficam sobre bancadas da pia e fogão

Layer 3

Wcomunicação – Assessoria e Consultoria
DATA: 22/10/2014

Posts Relacionados

Com diversas funcionalidades, os tapetes são boa aposta para espaços residenciais ou corporativos.

Com diversas funcionalidades, os tapetes são boa aposta para espaços residenciais ou corporativos.

Eles servem para proteger o piso, dar sensação de conforto, delimitar ambientes, embelez...
5 DICAS PARA ESCOLHER UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA

5 DICAS PARA ESCOLHER UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA

Quando pensamos em construir uma casa ou reformar e ambientar um apartamento, logo nos vem...
Construções sustentáveis ganham espaço

Construções sustentáveis ganham espaço

Oferecendo maior custo-benefício, recursos tecnológicos e o mote pró-meio ambiente, gre...